[ editar artigo]

Você Sabe O Que é o Direito 4.0 ?

Você Sabe O Que é o Direito 4.0 ?

Os avanços tecnológicos têm ocasionado uma grande transformação social, não só nas relações pessoais, mas também e, principalmente, no campo profissional. E tais mudanças estão afetando e transformando o mundo jurídico de uma forma nunca vista nessa era que chamamos de 4ª Revolução Industrial.

Talvez você esteja se perguntando, mas o que é essa tal de 4ª Revolução Industrial? Explicaremos o que ela é para que você se sinta contextualizado quando falarmos sobre o Direito 4.0. 

O que é a 4ª Revolução Industrial?

Este termo, “4ª Revolução Industrial” ou “Indústria 4.0”, foi criado pelo alemão Klaus Schwab, direto e fundador do Fórum Econômico Mundial.

De acordo com Klaus, todo o processo de industrialização atingiu uma quarta fase, na qual transformações fundamentais impactaram e continuam impactando o modo como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos, não sendo apenas mais uma etapa superada do desenvolvimento tecnológico, mas uma mudança de paradigma. 

Mas, antes de chegarmos nesse 4ª estágio, tivemos a 3ª Revolução, que nos trouxe os eletrônicos, a tecnologia da informação e as telecomunicações, formando a base da Indústria 4.0. Esse movimento atual tem como tendência, tornar a maior parte da nossa rotina automatizada, a partir de sistemas que combinam máquinas com processos digitais (conhecida como “fábrica inteligente”).

Mas como bem explica Klaus: “A quarta revolução industrial não é definida por um conjunto de tecnologias emergentes em si mesmas, mas a transição em direção a novos sistemas que foram construídos sobre a infraestrutura da revolução digital”.  E você deve estar se perguntando, como isso afetou ou vem afetando a atuação do advogado e a dinâmica do mundo jurídico?

O Direito 4.0 aconteceu através das mudanças incrementais que você não deu atenção!

Poucos anos atrás, parecia quase um absurdo falar e pensar que, em apenas alguns clicks,  poderíamos ter acesso à todos os documentos de um processo ordenado pelas etapas nele contida, nos livrando da necessidade de fazer carga ou tirar milhões de xerox; ou que receberíamos notificações processuais em nossos e-mails; ou que as audiências teriam a possibilidade de serem feitas por videoconferência e negociações por telefone em salas de conciliação. Mas tudo isso aconteceu, e parece que foi em um piscar de olhos.

Foram essas pequenas mudanças que começaram a modificar grande parte da rotina dos advogados autônomos e de grandes escritórios de advocacia. O fax foi substituído pelo e-mail e depois pelo Whatsapp.

As cargas de processos foram substituídas por acessos online através do Projudi, e carimbos foram deixados de lado para que as assinaturas digitais se tornassem a nova regra. Aqui, podemos falar da 4ª Revolução Industrial como a transição em direção a novos sistemas como apontado por Klaus.

Isso parece algo raso, mas essas pequenas transformações abriram espaço para o início da era jurídica vivida hoje que é conhecida como Direito 4.0.  E a maior contribuição para que esse novo olhar e forma de atuar ganhasse vida ganhou força com a onda das LawTechs que LegalTechs. E o que seria isso?

A onda das Lawtechs e LegalTechs e o Direito 4.0

 Lawtech ou Legaltech é o termo jurídico utilizado para fazer referência ao novo nicho do mercado jurídico que possui o modelo de negócio de startup. A abreviação de Law ou Legal Technology representa este mercado de startups que criam produtos e serviços tecnológicos voltados para o setor jurídico. 

O uso dessas tecnologias vem se tornando cada vez mais presente na atuação do dia a dia do advogado. Recursos tecnológicos de ponta, criadas por essas startups jurídicas, como: inteligência artificial, big data e até internet das coisas passam a ser o que chamamos de Direito 4.0. A possibilidade de realizar o trabalho com mais agilidade em função desses novos softwares, alterando o foco da atividade que deve ser desenvolvida pelo profissional jurídico, abre espaço para a atuação mais estratégica, focada no core do business jurídico.

Essa é outra característica que, aliada ao uso dos softwares, caracteriza o Direito 4.0. 
A inserção dessas tecnologias e a possibilidade de possuir uma visão mais estratégica jurídica, também cria a terceira característica que define esse momento 4.0 do mundo do Direito: a necessidade do profissional desenvolver novas habilidades, e habilidades que por muitas vezes não estão diretamente relacionadas à qualidade técnica, e que chamamos de soft skills ou habilidades comportamentais. 

Um dos exemplos da necessidade de desenvolver habilidades comportamentais está no fato de que hoje, não basta mais entregar um bom serviço, de forma eficiente, quando o cliente está em busca de algo que lhe gere valor. O profissional que consegue ter essa leitura mais sensível, aliando o que um software fornece de melhor juntamente com, por exemplo, o Legal Design (uma nova abordagem de tratar o serviço jurídico de forma criativa e empática), acaba se destacando e saindo a frente em meio à todas as transformações pelas quais o Direito vem passando. 

Portanto, podemos definir o Direito 4.0 como a nova era jurídica na qual o melhor serviço será fornecido quando houver a conjunção entre: o uso inteligente de softwares e tecnologias jurídicas, visão estratégica e a aplicação de habilidades soft skills para entregar um serviço diferenciado e mais efetivo para seu cliente. E ai, você está à frente dessa nova era do Direito?
 

Blog - The Legal Hub
Ler matéria completa
Indicados para você