[ editar artigo]

Porque as Soft Skills Devem Fazer Parte das suas Habilidades Profissionais?

Porque as Soft Skills Devem Fazer Parte das suas Habilidades Profissionais?

O primeiro passo para entender o que são as soft skills é diferenciá-las das hard skills.

O que são Hard Skills?

A compreensão do que são as hard skills acontece de forma mais natural, já que estas estão ligadas às habilidades técnicas que todos podemos aprender e desenvolver e que podem ser mensuradas. No caso do Direito podemos citar como exemplo o domínio de uma área específica (ex. Direito Penal, Empresarial), a habilidade de identificar qual peça processual deve ser redigida em cada situação, ter o conhecimento de prazos processuais, saber utilizar um software jurídico.

O que são Soft Skills?

Por outro lado, um assunto muito recente que vem sendo abordado na vida profissional, estão as soft skills. Esse tipo de habilidade, além de ter seu conceito ainda pouco difundido, é também um tema um pouco mais sensível de trabalhar, pois envolve habilidades diretamente ligadas ao comportamento do ser humano.

De acordo como Daniel Goleman, autor do best-seller Inteligência Emocional:

“Habilidades como resiliência, empatia, colaboração e comunicação são todas competências baseadas na inteligência emocional e que distinguem profissionais incríveis da média.”

O autor ainda afirma:

“Há uma lacuna entre o que líderes esperam de recém-formados e o que estes recém-contratados oferecem.”

O que falta nesses profissionais são as chamadas soft skills conclui o autor que as define como: “traços e comportamentos que caracterizam nossos relacionamentos com outros”.

E a necessidade do desenvolvimento dessas habilidades mais sensíveis, conectadas diretamente com o campo da interpessoalidade, não é uma opinião que se restringe apenas ao olhar do famoso autor.

No relatório Future of Jobs, escrito pelo fundador do Fórum Econômico Mundial, Schwab K., foi pedido aos diretores de recursos humanos e da atualidade, de 10 indústrias e 15 países diferentes, que imaginassem o impacto dessas mudanças no trabalho e quais competências esperavam dos colaboradores até o ano de 2020, e a lista inclui as seguintes habilidades: resolução de problemas complexos, pensamento crítico, criatividade, gestão de pessoas, coordenação, inteligência emocional, tomada de decisão, orientação a serviços, negociação e flexibilidade cognitiva.

É verdade que o comportamento humano é uma caixa de surpresas, seja na vida pessoal ou profissional. A importância do desenvolvimento das soft skills na vida profissional é crucial, pois o ambiente de trabalho, por muitas vezes, trará inúmeras situações que envolvem lidar com emoções do ser humano como: raiva, alegria, tristeza, ansiedade.

Ainda que a tecnologia esteja evoluindo e cada vez mais inserida em nossas vidas e rotina, o comportamento e as emoções humanas sempre farão parte de variáveis presentes em uma organização.

Por isso, e cada vez mais as empresas investem tanto em competências técnicas quanto no desenvolvimento do lado comportamental dos colaboradores. As habilidades que compõe as chamadas soft skills são cruciais para se ter foco, motivação e colaborar de maneira produtiva.

 E são elas que realmente capacitam alguém para ocupar cargos de liderança, que envolvem lidar com outras pessoas e com si mesmo – apenas inteligência e experiência não bastam.

Conforme afirmação de Peter Drucker, famoso austríaco considerado o pai da Administração moderna:

“As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos.”

Portanto, a relevância do desenvolvimento das soft skills é evidente e indispensável se você deseja de fato se tornar o profissional que o futuro já exige. Além de cursos e vários mecanismos que você pode acessar para iniciar essa jornada de autodesenvolvimento no campo da interpessoalidade, aqui vão algumas dicas de Daniel Goleman que você pode colocar em prática ainda hoje:

1. Aprenda a se autorregular

“Se você aprender a administrar suas emoções, vai se recuperar rapidamente do estresse. Isso significa que quando você sentir uma emoção forte surgir, pode se tornar consciente dela, nomeá-la e deixá-la passar sem reagir instantaneamente.”

Isso trará foco e manterá o corpo relaxado – em alerta, porém sem estresse.

Goleman ainda indica praticar meditação diariamente para treinar seu cérebro para lidar com as emoções.

2. Aprenda a gerenciar seu tempo

“Quando for interrompido, pratique se fazer esta pergunta: isso pode esperar? Posso deixar de lado? Você descobrirá que a resposta é quase sempre ‘sim’”.

Priorize o que for mais importante e comunique a decisão de maneira educada e com boa vontade, pois líderes sabem de comunicar de forma gentil..

3. Crie uma cultura de feedback

Além disso, aposta na cultura do feedback, que quer dizer permitir que as pessoas avaliem suas habilidades interpessoais. Com isso, você poderá identificar os aspectos que ainda deve aprimorar.

Portanto, crie sua própria cultura de feedback. Peça para amigos, colegas, professores, gestores e familiares – pessoas que o conhecem profissional e pessoalmente – avaliarem suas habilidades de soft skills e use as respostas para aprimorar-se.

Blog - The Legal Hub
Ler matéria completa
Indicados para você