[ editar artigo]

Advogado: Você Sabe Ser Produtivo em Modo 4.0?

Advogado: Você Sabe Ser Produtivo em Modo 4.0?

No post anterior falamos um pouco sobre de onde veio a produtividade, seu breve histórico, definição e como seu conceito já sofreu transformações em razão da nova era tecnológica pela qual o Direito vem passando.

Mas, para entender um pouco como as mudanças afetam o dia a dia da rotina do advogado, e como ser efetivamente produtivo, precisamos entender a transição do trabalho braçal para o intelectual e, finalmente, tecnológico. 

Medindo a produtividade: transição para o tecnológico

Antigamente, a ideia de produtividade tinha como ponto principal de avaliação a medição do trabalho humano através de unidades de esforço muscular, mas sabemos que isto, via de regra, não se aplica mais ao momento no qual vivemos e produzimos. 

O aumento na produtividade passou pela sua primeira transição quando ocorreu a eliminação do esforço muscular, sendo este substituído por algo diferente. Um desses substitutos passou ser a energia mecânica, citando como exemplos as máquinas e equipamentos. Avançando um pouco mais na linha do tempo, outra possiblidade que ganhou destaque no cenário da produtividade, foi a substituição do trabalho manual pelo conhecimento, momento no qual surgiram os gestores e advogados, por exemplo.

Avançando uma última vez, chegamos na era atual, no qual é o encontro entre conhecimento estratégico e novos softwares que culminam na produtividade.   
Tenho certeza que neste ponto do texto você deve estar se perguntando, mas o que isso tem a ver com ser e aprender a ser mais produtivo para o meu escritório ou negócio? Continue lendo, pois vou te explicar alguns pontos sobre os quais tenho certeza que você ainda não refletiu e que são essenciais para iniciar um novo mindset de trabalho. 

Entender a transformação da produtividade e o cenário atual no qual o advogado se encontra é a chave para reavaliar os processos de trabalho, o tempo empregado em cada tarefa, a relevância de cada uma delas e quais softwares podem passar a otimizar a rotina profissional. Mas, antes de falarmos de forma mais específica sobre dicas para aplicação diária, você precisa entender o que envolve ser produtivo. 

O que envolve ser produtivo?

Dinheiro não é a única variável

A ideia de produtividade deve ser abrangente e levar em conta todos os esforços que contribuem para que um serviço/produto atinja os resultados desejados, não sendo o trabalho o único esforço produtivo. Além das atividades que são mensuráveis, como custos visíveis e receita, existem fatores de impacto substancial que não se manifestam em forma de cifras. Exemplos disso são: o conhecimento, o tempo e o mix de processos.

Aliado a estes fatores, não podemos esquecer um grande diferencial da dinâmica atual de trabalho: os softwares. Analisar todos esses fatores são pontos chave de uma estratégia de negócio que pode trazer mais foco e mais produtividade. Esses fatores vão além dos que, em geral, são considerados por contadores e economistas, a saber, produtividade do trabalho, do capital e dos materiais. No entanto, eles são igualmente importantes. Então vamos a eles.  

O Conhecimento é o recurso mais produtivo de todos

As mudanças que ocorreram após a Revolução Industrial fizeram com que o trabalho braçal fosse perdendo sua importância e o conhecimento ganhasse relevância e assumisse o status de nova moeda de troca no mercado atual e do futuro.

Portanto, não há como falar de produtividade sem considerar o conhecimento. Sendo a moeda de troca mais valiosa do mercado profissional, com toda a certeza ele deve ser considerado como o recurso mais produtivo de todos e você deve investir o seu tempo em obter conhecimentos que possam ser usados de forma estratégica na sua advocacia ou negócio. 

O tempo

O tempo é o recurso mais perecível que temos. O uso inteligente e estratégico dos bens de capital que um escritório ou advogado possui a seu dispor é um ponto importante quando se tem o objetivo de produzir mais.

Saber organizar as tarefas de uma rotina jurídica e delegar o que for possível para o software jurídico correto, abre espaço para que pessoas altamente capazes possam realocar o seu foco, concentrando seu tempo em realizar atividades pontuais e relevantes que possam trazer mais resultados para o negócio.

Algumas ideias de atividades estratégicas envolvem o trato com o cliente e buscar novas oportunidades de parcerias que gerem novos negócios.

 Mix de processos

Este termo, “mix de processos”, é usado por Peter F. Drucker, pai da administração moderna. Ele determina a importância de identificar quais processos são mais interessantes para que o seu negócio possa ser mais produtivo.

Saber qual é a forma através da qual o uso dos seus conhecimentos e capacidades podem ser melhores aproveitados e aplicados é uma das chaves para atingir os resultados almejados. Utilizar as capacidades específicas do seu escritório ou negócio, assim como observar as próprias limitações são importantes fatores de produtividade.

Portanto, se atenha a identificar quais são as capacidades que são mais desenvolvidas e que, de alguma maneira possam resultar em ser mais produtivo, ressaltando que nem sempre essa produtividade será traduzida como meramente produtividade do capital. 

Cultura Organizacional

O último ponto a ser analisado, e talvez o mais sensível em questão de afetar a produtividade, está diretamente conectado à cultura organizacional do local de trabalho. A necessidade de criar uma cultura interna no qual processos sejam estabelecidos de forma organizada, havendo um equilíbrio entre todas as atividades desenvolvidas pela equipe é primordial para que a produtividade flua de maneira orgânica.

A falta de organização adequada pode levar o advogado, administrador ou gestor de escritório a perder tempo na tentativa de descobrir o que fazer, ao invés de usar os esforços de trabalho de modo a focar nas ações que devem ser executadas para o sucesso do negócio.

Um exemplo disso é a gestão do escritório focar na produção massiva de peças processuais quando é outro setor como o marketing que necessita de mais atenção e força de trabalho. A consequência disso é a baixa produtividade, sendo os danos resultantes dessa falta de organização e foco muito maiores que a queda na produção diária. 

Portanto, tendo esses pontos em mente, comece a redesenhar seu fluxo de trabalho, destacando os conhecimentos e habilidades que podem ser usadas de forma a gerar uma maior produtividade. 

Blog - The Legal Hub
Ler matéria completa
Indicados para você